Programas espiões de celulares: Como funcionam, são Legais?

A segurança dos smartphones passa por um controle do usuário em relação aos aplicativos instalados no aparelho. Dentre essas funcionalidades que podem trazer prejuízos estão os programas de espiões nos celulares. Entender como funcionam contribui para manter o seu dispositivo seguro contra invasões.

Principalmente por ataques de hackers e cibercriminosos, que visam acessar suas fotos, vídeos, contas bancárias e outras informações preciosas, necessita-se evitar que os aplicativos maliciosos cheguem até seu aparelho. Dessa forma, confira como funcionam os programas de espiões nos celulares.

Formas de espionagem de celular

Primeiramente vale ressaltar que a prática de espionagem de celulares de outras pessoas na grande maioria dos casos se configura como invasão de privacidade – e, consequentemente, crime. Contudo, alguns pais buscam ter controle do acesso dos seus filhos, enquanto por outro lado há hackers que visam ter informações preciosas contidas no aparelho.

Há duas formas de os programas de espiões nos celulares serem utilizados. São elas:

  • Feita por um usuário. Geralmente a pessoa, com o celular que quer espionar em mãos, instala o aplicativo que fará a espionagem e, conforme suas aplicações, deixa escondido do proprietário do smartphone, sem que ele perceba que está sendo espionado.
  • Por um aplicativo. O segundo é quando o usuário baixa um aplicativo qualquer e, junto com ele, é instalado outro programa – também escondido – que obterá todas as informações da utilização do aparelho sem o proprietário notar.

Como funcionam os programas espiões?

Com o aplicativo instalado, os programas de espiões nos celulares mostrarão uma série de dados e informações utilizados pelo usuário que está com o aplicativo instalado. No painel de controle é possível ter todas as etapas que a pessoa espionada acessou – variando de acordo com o programa instalado.

Entre as informações estão a localização em tempo real do celular (se o GPS estiver ligado), os aplicativos que a pessoa utiliza, as chamadas recebidas e efetuadas, os arquivos de imagens e vídeos, contatos, o histórico de acesso dos sites e, em alguns aplicativos, até mesmo as conversas de WhatsApp da pessoa.

Ou seja: os programas de espiões nos celulares funcionam escondidos dos usuários, permitindo que a pessoa que tenha o acesso remoto ao aplicativo – pais, cônjuges, outras pessoas ou hackers – possam acessar quase tudo. Em alguns casos, ainda, é possível fazer a gravação de chamadas telefônicas e ativar a câmera do smartphone.

Aspectos legais

Vale destacar que há aspectos legais sobre os programas de espiões nos celulares. As duas únicas permissões que não são crimes nesse caso é o monitoramento dos smartphones dos pais em relação aos filhos e grampos judiciais. Qualquer forma de espionagem sem o consentimento da pessoa se configura crime.

Em casos de roubo de celular, é possível rastrear o aparelho caso o mesmo esteja com a função GPS ligada e configurada corretamente.

Perigos da espionagem

Por fim é preciso saber que ao instalar um programa de espionagem no celular de outrem, a própria pessoa que espiona pode ser espionada. Isso porque alguns aplicativos que ajudarão no monitoramento já vêm com malwares instalados no sistema do aparelho, fazendo com que ambos os celulares – de quem espia e quem é espionado – sejam vistos por um usuário malicioso.

Confira nossos artigos e tenha mais conteúdos de qualidade.

Programas espiões de celulares: Como funcionam, são Legais?
Gostou do Texto?

Deixe um comentário